• PDF
  • Imprimir

Aspásia no JB: "Precisamos preservar os bens públicos de uso comum da nossa cidade"

  • Ter, 07 de Agosto de 2012 13:46
  • Pela manhã, a candidata ouviu reivindicações para o setor de tecnologia da informação: "Apoio a redução do ISS para este setor tão importante".

    aspjotabe

    A candidata do PV à prefeita do Rio, Aspásia Camargo, participou nesta terça, dia 7 de agosto, do encontro de presidentes de associações de moradores em defesa do Jardim Botânico. A mobilização foi realizada na véspera do julgamento do processo de regularização fundiária das 620 casas localizadas dentro de áreas tombadas do parque, que acontecerá amanhã no Tribunal de Contas da União, em Brasília.

    Acompanhada de seu vice, Alfredo Piragibe, e da vereadora Sonia Rabello do PV, Aspásia defendeu que o parque, recém-eleito patrimônio da humanidade, deve ser preservado contra a especulação imobiliária e elogiou a mobilização das associações locais. "Minha principal bandeira de campanha é a regularização fundiária. Mas nesse caso, regularizar essas casas onde estão significa incentivar a especulação numa área tombada da União, que é patrimônio da humanidade. Precisamos preservar os bens públicos de uso comum da cidade", disse. Ex-presidente da AMA-JB, Piragibe alertou que se a decisão do julgamento amanhã for favorável à manutenção das casas onde estão, o parque perderá tanto o título de patrimônio da humanidade, como o de reserva da biosfera.

    Regina Carquejo, advogada da AMA JB, associação que deu entrada na ação a ser julgada amanhã, contou que a denúncia foi feita em 2010. “Levantamos um grande número de provas que constatam as ilegalidades na área do parque. Este encontro mostra que as associações estão atentas”, informou Regina. Participaram do encontro os presidentes das associações de moradores, do Jardim Botânico – AMA JB, João Senise, do Humaitá - AMAHU, Luiz Carlos Santos, da Gávea - AMA Gávea, Rene Hasenclever e do Leblon - AMA Leblon, Evelyn Rosenzweig.

    Em encontro com empresários de informática, Aspásia defende reivindicação de redução de ISS para o setor

    Na manhã desta terça-feira, 7 de agosto, Aspásia tomou café com empresários do setor de tecnologia da informação. No encontro, realizado pelo Sindicato das Empresas de Informática do Rio de Janeiro (Seprorj), no Bistrô Ouvidor, a candidata verde defendeu a economia da informação como uma das bases para um Rio sustentável. O setor luta pela redução do ISS e aguarda a votação de projeto de lei que reduz o imposto de 5% para 2%, parado na Câmara dos Vereadores desde 2010. Segundo o presidente do Seprorj, Benito Paret, a reivindicação pela redução do imposto já dura cinco anos, desde o governo César Maia.

    "Enquanto isso, nossa cidade perde a corrida da tecnologia da informação para outras cidades do Brasil, como Recife e São Paulo, que conseguiram conquistar uma legislação mais favorável a empresas do ramo", disse Aspásia, que enquanto vereadora criou a Comissão de Ciência e Tecnologia da Câmara Municipal. Para a candidata do PV, se o Rio ganhar a corrida pela informática, a cidade dá um largo passo na direção do desenvolvimento sustentável, já que se tornaria economicamente próspero, socialmente justo e ambientalmente protegido. "A indústria da informática não é a que oferece apenas melhores salários. Ela é uma indústria que perpassa todas as atividades da vida nos dias de hoje, impulsionando a economia e o empreendedorismo. Pode revolucionar os serviços públicos, se for usada com eficiência nas diversas secretarias."

    "As elites que nos governam não ligam para economia. Só que não é possível resolver o social sem uma economia próspera. E a tecnologia da informação é o setor que oferece os melhores salários médios. O atual prefeito acha que é mais importante dar recursos à siderurgia do que isenção de impostos a empreendimentos inovadores, vitais como a área da informática", disse ela aos empresários presentes, comparando à velha e a nova forma de governar.

    "Temos que ter ousadia para construção uma cidade que prioriza pessoas e serviços em vez de obras, com geração de melhores empregos para os jovens. Isso converge para a necessidade de investimento em tecnologia da informação", anunciou a candidata, que propõe a introdução da informática nos Pólos de Desenvolvimento Sustentável da Cidade (Pads) para dar dinamismo ao desenvolvimento local e defende a banda larga para todos no Rio.

    Aspásia no JB: