• PDF
  • Imprimir

Aspásia percorre Inhaúma, o bairro que o poder público abandonou

  • Qua, 08 de Agosto de 2012 15:18
  • A candidata à Prefeitura do Rio de Janeiro, pelo Partido Verde, Aspásia Camargo, caminhou na tarde desta quarta-feira, dia 8 de agosto, pelo bairro de Inhaúma, na Zona Norte. Para ela, a região é um exemplo de como as intervenções urbanas na cidade, mesmo quando são para melhorar, podem provocar desastres na vida dos bairros e das pessoas.

    inhauma3

    “Inhaúma é um lugar encantador, mas foi dilacerado pela linha do metrô, que a cortou ao meio, condenando uma das partes ao abandono. E a proximidade com um grande complexo de favelas, como é o Alemão, atrai para perto de si os serviços da prefeitura deixando Inhaúma à deriva”, disse Aspásia, que esteve acompanhada da perita ambiental do Partido Verde e líder local, Simone Goulart. Moradores reclamaram que no bairro não há postos de saúde, hospitais ou escolas.

    inhauma2Durante a caminhada, Aspásia defendeu o fortalecimento da economia local. “Muitas fábricas importantes como a Pepsi e a Coca-cola abandonaram o bairro. Ninguém deve precisar ir lá do outro lado da cidade para conseguir emprego e garantir o futuro", declarou a um grupo de jovens e lideres locais. A moradora Marli de Souza Oliveira, que trabalha na Clínica da Família do Complexo do Alemão, onde é responsável por 200 famílias, desabafou com a candidata verde. "As pessoas me perguntam se aqui em Inhaúma só tem cemitério. Precisamos de um colégio local para nossas crianças. Minha filha vai ter que estudar na Tijuca. Na Clínica da Família, a prefeitura sequer nos efetivou. Somos funcionários de uma ONG”, contou Marli.

    No percurso, Aspásia se deparou com um grande vazamento em uma tubulação da Cedae. “Olha a bagunça da Cedae: um cano mais grosso foi conectado a um cano mais fino. Resultado: um vazamento colossal. E eis as condições de trabalho para os funcionários que consertam. Não têm ao menos uma bota para mergulhar os pés nessa água”, alertou ela, que tem como prioridade de campanha a municipalização do saneamento. Aspásia visitou também uma pracinha construída com esforços próprios dos moradores. "Trouxe as pedras no meu carro", contou Simone Goulart, que é proprietária de um dos poucos cursos preparatórios para vestibular e concursos que existem no bairro.

    Aspásia percorre Inhaúma, o bairro que o poder público abandonou