• PDF
  • Imprimir

Comunidade Trajano, no Méier, sofre com todo o lixo acumulado

  • Qua, 22 de Agosto de 2012 16:26
  • Ao percorrer ruas da região, Aspásia Camargo (PV-RJ) encontrou lixo e revolta dos moradores.

    aspasialix
    Em caminhada pelo Grande Méier, na manhã desta quarta-feira, 22 de agosto, Aspásia Camargo, candidata à prefeitura do Rio pelo Partido Verde, visitou a comunidade do Trajano, na Abolição, onde os mais de 1.500 moradores sofrem com o descaso do poder público. “Não há tratamento de esgoto, a coleta de lixo é irregular e quem precisa de atendimento médico precisa ir para outros bairros. Mas as contas chegam pontualmente”, averiguou Aspásia.

    Ao caminhar pelas ruas da comunidade, a candidata encontrou todo tipo de resíduos sólidos acumulado pelo chão. “A Comlurb teria que realizar a coleta às terças, quintas e sábados. Hoje é quarta-feira e nada foi recolhido ontem. O cheiro é insuportável, é quase impossível abrir as janelas”, revelou Marluce José da Silva, cuidadora de duas crianças com deficiência que moram na Rua Coimbra Luz.

    Para Aspásia, a redução dos resíduos sólidos e o incentivo à coleta seletiva são os principais focos na busca por soluções ambientais compatíveis com o cenário desejado para o futuro da cidade. “Não podemos permitir que nossas crianças convivam com lixo por todos os lados”, afirmou a candidata, que como vereadora criou a Lei de Gestão Integrada dos Resíduos Sólidos do município do Rio, que garante o Lixo Zero. “A infraestrutura verde tem que ser a base da nossa cidade”, assinalou.

    Durante corpo a corpo, a maioria dos moradores queixou-se também dos altos preços cobrados no IPTU e pelo fornecimento de água e luz. Eles contaram que algumas das humildes residências locais chegam a receber contas de até 400 reais ao mês da Cedae e o questionamento só pode ser feito na Justiça. “É intrigante também a cobrança do IPTU, pois a prefeitura insiste em não regularizar as casas do Trajano, mas o imposto é cobrado com um pequeno detalhe, sem o nome do morador”, questionou a candidata verde, comprometendo-se, caso eleita, a reverter essa situação, promovendo ainda a regularização fundiária na região.

    Comunidade Trajano, no Méier, sofre com todo o lixo acumulado