• PDF
  • Imprimir

Reta final das eleições: um segundo turno para ampliar o debate no Rio

  • Ter, 02 de Outubro de 2012 04:29
  • Aspásia reafirma a vocação da cidade para a sustentabilidade. Confira os melhores momentos e o vídeo completo do debate da Rede Record.

    debatef
    Educação em tempo integral, atenção aos idosos abandonados e aos deficientes físicos que foram integrados às escolas foram questões levantadas pela candidata à Prefeitura do Rio de Janeiro pelo Partido Verde, Aspásia Camargo, no debate da Rede Record, no último dia 1 de outubro, segunda-feira. A verde pediu aos cariocas que, no próximo dia 7, dêem a oportunidade à cidade de ampliar o debate eleitoral para que as ideias sobre sustentabilidade sejam mais bem trabalhadas num possível segundo turno. “Peço a aliança entre mulheres e jovens que pensam no futuro para falarmos mais sobre o Rio, que pode ser verdadeiramente uma cidade sustentável”, disse ela.  Confira os melhores momentos da candidata.

    Educação em tempo integral
    Aspásia defendeu que, ao menos, as duas primeiras séries, que são as da alfabetização, têm que contar com a educação integral e professores com dedicação exclusiva. 


    Deficientes físicos nas escolas
    A Lei de Diretrizes e Bases do município determina que os deficientes físicos devem estar integrados às escolas, o que provoca divergências entre algumas famílias, que preferem as salas de aula especiais. Aspásia, que tem uma filha autista, acredita que nem todos são capazes de se adaptar às mesmas condições e propõe o atendimento criterioso a cada um deles, de acordo com suas necessidades. 


    Tecnologia
    Para a candidata, a primeira providência a ser tomada é a votação de lei de sua autoria, parada na Câmara de Vereadores, que reduz o imposto municipal para as empresas de informática. Ela acredita que a informatização dos sistemas de informação da cidade pode trazer melhorias, inclusive, para a rede de saúde que, hoje, conta com uma Central de Regulação aquém das necessidades dos cidadãos. Ela também defende o uso de tecnologias modernas para resolver problemas como lixo e saneamento, como o uso de biodigestores. E, sobretudo, na educação, com ferramentas que coloque o Rio no rumo da sociedade do conhecimento. 

     

    Alianças políticas
    Aspásia criticou o uso de alianças políticas espúrias que podem trazer uma situação de ingovernabilidade para a cidade do Rio de Janeiro, dada a grande quantidade de partidos envolvidos. Ela sugeriu aos cariocas que votem por um segundo turno, que pode proporcionar um debate mais aprofundado  sobre as teses da sustentabilidade.

     

    CLIQUE AQUI PARA VER A ÍNTEGRA DO DEBATE DA RECORD

    Reta final das eleições: um segundo turno para ampliar o debate no Rio