• PDF
  • Imprimir

Aspásia Camargo participa de homenagem a Anísio Teixeira

  • Ter, 04 de Dezembro de 2012 14:42
  • O evento foi realizado hoje na Alerj e contou com a presença do ministro da Educação, Aloizio Mercadante, que elogiou bastante o discurso de Aspásia Camargo


    altAnísio Teixeira sabia que a educação tinha que levar um choque de conhecimento científico. Sabia também que a educação tem que ligar as pessoas à vida e que precisa ser preparada para encontrar o desconhecido, pois o futuro é absolutamente desconhecido. Esta análise sobre o importante educador e escritor brasileiro foi feita pela deputada Aspásia Camargo do PV, durante do evento “Compromisso do Rio de Janeiro com a Educação e a Inovação: os 80 anos do Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova", promovido pelo  Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado, na Alerj, e que contou com a presença do Ministro da Educação, Aloízio Mercadante. 

    Para Aspásia, o ministro Aloizio Mercadante abordou questões fundamentais, como a educação integral, não necessariamente em horário integral na escola. “Essa tese atualíssima foi defendida em  minha campanha. Temos que construir novas escolas , não para um futuro previsível , mas para um futuro absolutamente imprevisível.”, avaliou. Mercadante deixou claro que o governo federal vai atuar no sentido de garantir a aplicação dos royalties do pré-sal integralmente na educação.

    O evento, que reuniu secretários de educação do estado e de vários municípios do Rio, além de professores, reitores e intelectuais, teve o objetivo de revalidar os princípios registrados no Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova,  assinado por notáveis em 1932 em uma carta-compromisso para promover um novo acordo pela educação. “O documento tem a pretensão de representar a sociedade; por isso, há necessidade de termos participantes de diversas áreas avalizando o processo”, segundo os organizadores do seminário.

     

    Um dos pontos altos do seminário foi a homenagem prestada à Terezinha Saraiva, professora e a primeira secretária municipal de educação do Rio (1975-1979), pós-fusão dos antigos estados da Guanabara e do Rio de Janeiro. A mestre é um exemplo a ser seguido. Ela trabalha com entusiasmo para melhorar a educação e  hoje dirige suas forças para isso. Ela atua como consultora da Fundação Cesgranrio, onde é responsável pelo projeto Apostando no Futuro.

     

    Quem foi Anísio Teixeira

    A ideia de educação para todos, expressa por Anísio Teixeira, está a base de sua atuação como educador e sua contribuição para a educação no Brasil. Anísio fez seus primeiros estudos em colégios jesuítas em Salvador. Com a mudança para o Rio de Janeiro, ingressou na faculdade de direito, formando-se em 1922. Tornou-se Secretário da Educação do Rio de Janeiro em 1931 e realizou uma ampla reforma na rede de ensino, integrando o ensino da escola primária à universidade. Em 1935, criou a Universidade do Distrito Federal, no Rio de Janeiro. Nesse mesmo ano, perseguido pelo governo de Getúlio Vargas, Anísio Teixeira mudou-se para sua cidade natal, na Bahia, onde viveu até 1945.

     

    Em fins dos anos 1950, Anísio Teixeira participou dos debates para a implantação da Lei Nacional de Diretrizes e Bases, sempre como árduo defensor da educação pública. Ao lado de Darcy Ribeiro, Anísio Teixeira foi um dos fundadores da Universidade de Brasília, da qual tornou-se reitor em 1963. Nos anos de chumbo, foi para os Estados Unidos e  lecionou nas Universidades de Colúmbia e da Califórnia. De volta ao Brasil em 1966, tornou-se consultor da Fundação Getúlio Vargas. Anísio Teixeira morreu em 1971, em circunstâncias consideradas obscuras durante o governo Medici.

    Aspásia Camargo participa de homenagem a Anísio Teixeira