• PDF
  • Imprimir

Audiência no Cantagalo/Pavão-Pavãozinho colhe bons frutos

  • Qui, 20 de Junho de 2013 22:18
  • Presidente da Comlurb prometeu prestar melhores serviços.

     

    alt

    Um verdadeiro gol de placa! Assim foi audiência pública promovida pela Comissão de Saneamento Ambiental da Alerj, presidida pela deputada Aspásia Camargo (PV), na noite desta quarta-feira, na comunidade do Cantagalo/Pavão e Pavãozinho. Pela primeira vez os moradores puderam dar sugestões, tirar suas dúvidas e a até fazer reclamações diretamente com os principais prestadores de serviços para a localidade. O consenso é que a coleta de lixo precisa acontecer com mais frequência, utilizando maior número de garis; e que as lixeiras sejam instaladas em locais previamente combinados com a população. Esse é o primeiro passo para acabar com os depósitos clandestinos.

    alt

    O maior troféu da audiência, que reuniu autoridades, líderes comunitários e de algumas das 67 ONGs que atuam nas comunidades, foi a promessa feita pelo presidente da Comlurb, Carlos Vinícius Roriz, de que a empresa pública buscará fazer bem feito o básico: a coleta de lixo, com maior frequência e contingente. A coleta seletiva ficará para um segundo momento, disse ele. Para Aspásia Camargo, os locais eleitos pelos moradores para depósitos clandestinos já são uma dica para a instalação dos coletores de lixo. A população já sabe o caminho e onde ficam, avaliou. Essa realidade é pra fazer pensar. A deputada do Partido Verde considera fundamental a realização um levantamento sério para saber o número ideal de lixeiras e o tamanho dos equipamentos para adequar de fato às necessidades dos moradores. É preciso também planejar as ações referentes à coleta de lixo e esgoto e o fornecimento de água. A hora é essa, disse.

    Outro grande avanço da audiência pública foi o comprometimento da Cedae em realizar análise da água da caixa localizada no Cantagalo. A moradora Rita de Cássia Pinto denunciou que alguns moradores da própria comunidade estariam lamentavelmente contaminando o reservatório com excrementos. Aspásia pediu a imediata  vedação da caixa d’água e que os resultados laboratoriais sejam divulgados o quanto antes para que a população tome ciência sobre a qualidade da água recebida em suas casas. Não podem existir fantasmas desse tipo, resumiu a presidente da Comissão de Saneamento Ambiental da Alerj.

    A mesa da audiência pública mesa foi composta pelo presidente da Comlurb, Carlos Vinícius Roriz, por representante da Cedae, pelo engenheiro Mauro Sá – representando a Secretaria Estadual de Obras e o  PAC 2 –pelos presidentes das associações de moradores do Cantagalo, Luiz Bezerra, e do Pavão-Pavãozinho, Alzira Maria do Amaral, pelo comandante da Unidade de Polícia Pacificadora Pavão-Pavãozinho/Cantagalo, Major Felipe Magalhães, por Claudia  Fróes, representando a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, entre outros.


    Uma audiência com formato diferente

    Aspásia Camargo gosta de inovar e não seria diferente na condução da Comissão de Saneamento Ambiental da Alerj. Além de levar os principais tomadores de decisão dos órgãos públicos para uma audiência pública realizada à noite dentro das comunidades do Cantagalo/ Pavão-Pavãozinho, a parlamentar  fez questão de ouvir primeiro os moradores e membros da plateia.  Geralmente as autoridades são ouvidas primeiro. Tiveram voz na audiência os moradores Carlos Dionísio, Rita de Cássia Pinto, Ridalva Pereira, Nivaldo Moura, Mônica Batista, entre outros.  A Comissão de Saneamento Ambiental vai preparar um relatório detalhado com as resoluções da audiência.

    Audiência no Cantagalo/Pavão-Pavãozinho colhe bons frutos