• PDF
  • Imprimir

Água limpa, orla nova

  • Sex, 11 de Fevereiro de 2011 15:37
  • Depois da criação de um comitê para acompanhar o processo de despoluição da Baía de Guanabara é a vez da Lagoa Rodrigo de Freitas contar com um grupo de peso para cuidar dos projetos de recuperação de suas águas e orla. No último dia 10 de fevereiro, foi realizada no Clube Naval (Piraquê) reunião de formalização do Subcomitê da Lagoa Rodrigo de Freitas, atrelado ao Comitê da Região Hidrográfica da Baía de Guanabara e Sistemas Lagunares de Maricá e Jacarepaguá, presidido pelo vice-prefeito e secretário municipal de Meio Ambiente, Carlos Alberto Muniz, que conduziu o encontro.


    alt “Afinal chega a certeza de que a Baía de Guanabara e sistemas lagunares podem ser despoluídos para as Olimpíadas de 2016. Até então, o que víamos funcionando eram negócios de obras. E não a despoluição via saneamento e via educação ambiental, que têm papéis fundamentais neste processo”, diz a deputada Aspásia Camargo, que esteve na reunião e integra o subcomitê. Ela vai assumir a Comissão de Saneamento Ambiental na Assembleia Legislativa.

    Na mesa, junto a Muniz, estavam Luiz Firmino, subsecretário estadual de Meio Ambiente,  Jovanildo Savastano, Gerente do Comitê da Orla, e Carlos Viveiros,  representando o Clube Naval. O encontro contou ainda com a presença do diretor da Cedae, Marco Abreu, do biólogo Mario Moscatelli e de representantes das secretarias municipais de Obras, Esporte e Lazer, Meio Ambiente e Conservação; representantes do setor privado, como a EBX; ONGs, como o Instituto E, ligado à marca Osklen; membros das associações de moradores dos bairros da Lagoa e Ipanema, entre outros.

    A primeira pauta do subcomitê discutiu as ações de revitalização da orla da Lagoa e explicou como será realizada a troca das águas, prevista no projeto Lagoa Limpa. Ambos são da prefeitura e o segundo tem o patrocínio da EBX.

     


    Nova Lagoa

    Prestes a entrar em execução, o projeto de revitalização da orla da lagoa vai intervir nas ciclovias, que serão pavimentadas e ganharão outros percursos. Também nos parques, a começar pelo Parque dos Patins, com resgate do paisagismo original, inclusão de novos brinquedos e ampliação de seus acessos. As quadras de futebol, tênis, basquete e pistas de skate serão reformadas.  E o sistema de iluminação reforçado, visando, inclusive, mais segurança para o local.

    Já o Lagoa Limpa está em fase de implementação de ações. “O objetivo geral é reverter o processo de degradação da lagoa”, disse o gestor do projeto Paulo Farag, da EBX.  Problemas como a insuficiência do atual fluxo de troca de águas, restrito ao canal do Jardim de Alá, reprodução descontrolada de algas, enchentes e mortandade de peixes também têm resolução prevista no projeto.

    Água limpa, orla nova