site - tudosobre - saneamentoA universalização dos serviços de saneamento é minha principal bandeira. Presido a Comissão de Saneamento Ambiental da Alerj pela segunda vez consecutiva.  As diligências que faço regularmente  e os números oficiais comprovam  que o Estado do Rio de Janeiro está de mal a pior quando o assunto é saneamento. A Cedae, empresa  responsável pelo fornecimento dos serviços de água e esgoto em 64 dos 92 municípios do estado, mostra que não tem fôlego nem capacidade para atender a população do estado. Por conta disso, o mar, lagoas e rios estão absolutamente poluídos.

Apenas 39,2% da população dos municípios atendidos pela Cedae possuem rede de coleta de esgoto. Quando o assunto é tratamento de esgoto, o percentual cai para cerca de 13%. Segundo o balanço da empresa, o desperdício é de cerca de 50%.  E para piorar, não há uma agência reguladora para fiscalizar os seus serviços e quem determina o reajuste dos preços das tarifas é a própria empresa.

Água na bica duas vezes por semana não é satisfatório.Temos que correr mais para termos universalização dos serviços, mas nada mudará com a Cedae funcionando dessa maneira, precária e pouco transparente. Para atingir a universalização até 2020, ou no máximo até 2022, é preciso um planejamento rigoroso, com metas, redução de desperdício da água, intervenção pesada na rede, que é velha, e muito mais investimentos. A rede está absolutamente obsoleta, um passo para que aconteçam grandes desastres, como a na adutora do Mendanha, que vitimou uma criança.

Nesse espaço, colocarei sempre informações relevantes sobre saneamento. A universalização dos serviços é uma batalha imperiosa de todos.

 

 

Página 1 de 12